Liberdade (ainda que tardia) para Karim

No final da primeira década do século XXI, não pensamos mais no privilégio que é a possibilidade de nos manifestarmos, escrevermos e discordarmos livremente. No entanto, as coisas não são assim em todo lugar. No dia 22 de fevereiro de 2007, o estudante Abdul Karim Nabeel Suleiman foi condenado a 4 anos de prisão por artigos que escrevera em seu blog, que já causara sua expulsão da universidade e a abertura do processo que acabaria por condená-lo.

Nessa semana, a Repórteres Sem Fronteiras informou que,  apesar de sua pena de 4 anos ter expirado no dia 5 de novembro, Karim não foi posto em liberdade. Removido da prisão de onde estava sob a alegação de que seria solto, o blogueiro teria sido espancado no quartel general das forças de segurança em Alexandria.

Em fevereiro de 2008, OrdemLivre.org participou de uma rede de protestos em frente às embaixadas egípcias de todo o mundo, pedindo a libertação de Karim. Passaram-se mais 3 anos e ele continua preso.

Karim foi condenado por supostamente “desprezar a religião” e “difamar o presidente do Egito”. Não é necessário concordar ou apoiar as idéias que Karim escrevia em seu blog. Entretanto, é fundamental que compreendamos que a melhor maneira de se combater uma idéia da qual discordamos é expô-la, debatê-la, vencê-la, na arena pública, no debate livre. A violência da repressão machucou e aprisionou o corpo de Karim, mas fez com que suas idéias se propagassem para muito além do que o estudante imaginou quando abriu uma conta no blogspot para fazer comentários sobre sua universidade e religião.

A ira da polícia egípcia e sua recusa em libertar Karim deve estar relacionada a uma tardia constatação: prenderam o jovem, mas seus escritos e suas idéias ainda ecoam pelo mundo livremente.

Para mais informações sobre o caso, visite http://www.freekareem.org