Vídeo games para todos (da secretaria de consequências impremeditadas)

Em mais um exemplo de como boas intenções não garantem bons resultados, Alex Tabarrok aponta para o estudo de caso sobre o efeito de um programa de vale-computador na Romênia. A pesquisa conduzida por Ofer Malamud and Cristian Pop-Eleches comparou as famílias que receberam o vale-computador com famílias de renda parecida, mas que não se qualificaram para o vale. A conclusão é que os estudantes que ganharam o computador tiveram um desempenho pior na escola. Sim, pior! Quem conhece adolescentes e conhece a internet já sabe o que esperar: os computadores foram mais utilizados para jogos do que para o estudo. Aparentemente o número de equações resolvidas no PC possui uma correlação inversa ao número de headshots per capita.

Só mais 500 pontos para bater o recorde.

Só mais 500 pontos para bater o recorde.

Aposto que se controlassem para outros tipos de entretenimento online, a utilização do computador para fazer deveres de casa cairia para bem próximo de zero.